Os parasitas são seres bastante variados entre si, podendo apresentar diferentes formas, tamanhos e características. Afetam os homens também de diversas maneiras, sendo alguns deles danosos o bastante para serem considerados pestes.
Mas com tantos parasitas, que característica comum os define? Certamente, o fato de se aproveitarem de organismos hospedeiros, como os seres humanos, por exemplo, obtendo proteção e alimento, mas causando-lhes alguns prejuízos.

Quem são os parasitas?

Para entendê-los melhor, é importante saber que há parasitas obrigatórios e facultativos. Os obrigatórios são aqueles que simplesmente não conseguem completar seu ciclo de vida se não explorarem um organismo hospedeiro, dependendo dele para se alimentar e/ou se reproduzir. Esses hospedeiros podem ser organismos de diversos tipos, como bactérias, fungos, plantas e animais, a depender das características do próprio parasita. Algumas vezes, parasitas chegam a empregar mais de um hospedeiro, sendo o primeiro um mero pretexto para alcançar o mais desejado.

Os parasitas facultativos, são organismos que sobrevivem sem seus hospedeiros, apresentando apenas comportamentos parasitas. Normalmente são micro-organismos ou plantas, havendo poucos insetos nessa categoria.
 
Forma de parasitar
Tanto entre os obrigatórios quanto entre os facultativos, pode haver ectoparasitas e endoparasitas. Ectoparasitas são aqueles que vivem fora de seu hospedeiro, como as moscas. Endoparasitas são aqueles que habitam o interior do hospedeiro, podendo ser tanto intercelular como intracelular. A diferença é que enquanto os intracelulares habitam as células do corpo do hospedeiro, os intercelulares ficam por fora das células, ocupando um espaço no corpo do indivíduo parasitado, como um órgão humano, por exemplo.

Profilaxia
Trata-se do método mais adequado a se usar para combater a doença causada pelos parasitas. Como há diferentes espécies que se transmitem e causam sintomas os mais diversos, as profilaxias também podem ser bastante diferentes umas das outras. Saneamento básico, eliminação de mosquito transmissor, vacinas, ingestão de alimentos fervidos e educação sexual são alguns exemplos de profilaxia de várias parasitoses.

Alguns exemplos:

Com diferentes parasitas e formas de parasitar, diferentes combinações e categorias surgem, e por aí é possível perceber o quanto esses organismos são variados e numerosos. Aqui estão alguns exemplos para que se entenda um pouco mais sobre eles:

– Plasmódio: trata-se de um protozoário transmitido pela picada da fêmea do mosquito-prego. A doença que ele transmite é a temida malária, cujos principais sintomas são ataques febris periódicos (causados pela ruptura das hemácias parasitadas), insuficiência renal, calafrios e diversas alterações na coagulação. São endoparasitas obrigatórios.

– Percevejos-de-cama: é um dos principais parasitas que atacam os seres humanos. Vivem próximos aos seus hospedeiros, em móveis e paredes, e se alimentam de sangue de pessoas e animais. São pequenos, mas podem ser vistos a olho nu. Por serem muito comuns em hotéis e viajarem diversas partes do mundo através das bagagens dos viajantes, se espalharam por muitas regiões. Trata-se de um ectoparasita obrigatório.

– Larvas de moscas: as larvas do inseto são deixadas por eles em ambiente favorável para seu desenvolvimento. Algumas vezes, podem se depositar no corpo humano ou no de animais, especialmente em feridas, porém não dependem exclusivamente deles para viver, podendo crescer também em outros ambientes onde haja decomposição. São ectoparasitas facultativos.

© Copyright - Dedetizadora RJ